Qualidade de vida 2 17 JUN

  Compreendendo Melhor

e Vídeos de Relaxamento Mental:  

 

     Psicoterapia não é algo que APENAS alivia o momento como uma relaxante massagem. Apesar de chamarmos de ‘Terapia’, por vezes ela até pode ser difícil de fazer no início. Isso porque mexemos em pontos que estão sensíveis. Claro que pela sensibilidade do psicólogo, pode ir com calma, mas para o indivíduo lidar melhor com o estresse, não há outra forma se não desenvolver sua personalidade. Caso contrário, as terapias são sempre para o alívio momentâneo, como comer, beber, comprar, viajar e etc.

     A psicoterapia, vai te ajudar a entender o que há na sua personalidade que pode potencializar uma situação que já é estressante por si mesma. É um desenvolvimento pessoal que irá repercutir de forma global no seu jeito de ser / comportamento; e certamente você irá lidar melhor com futuras situações de estresse que virão, afinal, infelizmente faz parte da vida.

     Nos atendimentos de psicólogo (psicoterapia), preciso, também, de informações básicas sobre o analisando (paciente), sobre seu dia-a-dia. Transito é algo que incomoda muito, o desconforto tanto no público como no individual; e, claro. o tempo gasto é no mínimo cansativo. Algo para se refletir com calma, até que ponto se locomover de carro ganha-se um bom tempo e o gasto maior compensa pelo conforto; no transporte público, pode ter a possibilidade de ir lendo, escutando música, relaxando ou usando o smartphone.

     É algo a se pensar e fazer alguns testes. Há casos onde se valoriza o status de um bom carro, ou até usá-lo ao invés de ir a pé. Também é uma reflexão válida. Esse pequeno ajuste, além de uma melhora no dia-a-dia, quando o analisando vier para a psicoterapia; menos ansioso, tenso, cansado, fará melhor uso dela. A hipercompetitividade de nossos dias, inclui também o dirigir/tomar um transporte público, como a entrada em um trem na hora do rush.

     O Japão é o país com mais casos de estresse no mundo… Contudo, o Brasil vem em 2º, imagine um Paulistano… E a tendência é aumentar, visto que queremos sempre mais (em todos os sentidos); e se consegue isso somente se destacando em relação aos outros.

 

Quando a esperança se torna um sério problema:

 

     Resumidamente, a seguinte “fórmula” que já escutei diversas vezes: Querer o máximo da vida, em todos os aspectos, para já e com garantias de durabilidade; pode levar a pessoa a várias conquistas boas, contudo, como é uma fórmula mágica e impossível de se colocar em prática, trará stress (pelo tanto de dedicação), como frustração.

     Veja o exemplo padrão do “comercial de margarina”: uma família acorda feliz, são lindos, moram numa casa espetacular, claro que os filhos são um casal com pouca diferença de idade, o dia está ensolarado, e eles estão sorridentes passando margarina no pão; ao contrário de pessoas com poder aquisitivo alto que usam manteiga européia ou mesmo a brasileira aviação. Esse exemplo do comercial, assim como de vários outros divulgados pelos programas de TV, comerciais de diversos produtos, hiper-exposição de pessoas de profissões em alta (esportista/ator/cantor), alimentam muito essas expectativas de uma vida “feliz”.

     Como sou uma pessoa do século passado (completei 32 anos em 1999); lembro que o país tinha menor poder aquisitivo (poder de compra do salário mínimo era de cerca de 70 dólares), não havia a “situação China” de produtos baratos, o consumismo era menor (por falta de condições financeiras), e não havia tanta frustração por não estar realizando uma pós graduação, não ter imóvel próprio e não ter carro; ou, para ficar apenas nesses 3 itens, por “só” conseguir dois deles. Agora, quando atualizo esse texto, janeiro de 2016, e o país está em crise financeiro, é um momento bom para reavaliar o que se quer e o que se precisa.

 

Cuidados:

 

A) Por Excesso de Atividades Boas:

     Vejo o quanto atividades prazerosas podem se tornar estressantes. Em um domingo, geralmente livre para atividades do gosto da pessoa (caso não esteja se recuperando de esgotamento mental da semana), a pessoa, por querer fazer muitas atividades prazerosas (restaurante, cinema, visitas, etc); por ter trânsito, filas e o próprio trabalho de fazer tudo isso, poderá se estressar; ou seja, e não é unicamente para coisas chatas, como excesso de trabalho profissional, estresse são solicitações em excesso, no caso aqui, mesmo atividades prazerosas.

 

B) Por falta de atividades: 

     Também é advindo de falta de solicitações. Um exemplo comum, são moradores de cidades pequenas que se queixam de falta do que fazer (no caso de alguns jovens, recorrem a álcool e drogas). Tédio nessa situação também pode estar presente, de qualquer forma, a falta de estar envolvido em algo estressada. Quando se diz “vou tirar férias e descansar”, não se dormirá/descansará a maior parte dos dias, pode até aumentar o relaxamento, mas sobretudo terá atividades, como um dia em uma praia.

 

C) Autocobrança:

1) Por baixa autoestima: para ter cada vez mais de tudo e assim sentir-se forte e admirado.

2) Por alta autoestima: para manter-se na posição de poderoso que nunca erra e sabe de tudo.

3) Por ansiedade/voracidade: querer tudo e rápido.

4) Por questões de precisar agradar o próximo, relativas a sua ‘maturidade comprometida’.

5) Crescimento no Trabalho, pressões, medo de perder o emprego.

6) Relacionamento amoroso, desentendimentos, rompimento, divórcio.

7) Dificuldades naturais de criar um filho.

8) Luto, processo de aceitação.

 

Abaixo, Vídeo de como fazer Relaxamento Mental,

pode ser aplicado em vários lugares e adaptado a como você se sente mais à vontade.

 

Abaixo vídeo sobre Pensamento Acelerado:

Espero Ter Ajudado!

Envie sua avaliação