Escolha Madura do Parceiro Bacellart Psicólogo USP

Escolha Madura do Parceiro

     Na escolha madura do parceiro, dois maduros, conscientes do que são e desejam; conscientemente se escolhem, não se unem por necessidade incontrolável. Esses maduros, ou seja pessoas com vários ‘traços da personalidade’ sadios, que já constituíram uma ‘inteireza de si’ em grau saudável, fazem a escolha madura.

     Esse suposto casal acima, maduro e saudável, com certeza não existe, todos nós temos dificuldades emocionais, muitas vezes sérias. Enfim, como geralmente queremos melhoras em nosso existir; então, o referencial de um viver a dois estimulante, serve para renovarmos nossa esperança e termos um rumo a perseguir.

     Seja como for, é muito importante você ter claro qual os pontos principais gostaria que a outra pessoa tivesse, já que não é possível reuni-los todos.

© Copyright – Bacellart Psicólogo USP – O ensaio aqui publicado pode ser reproduzido, no todo ou em parte, desde que citados o autor e a fonte.

     Algo que por vezes se repete no consultório, quando pergunto o que seu companheiro (ou o futuro) tem (teria) de mais valioso a você? As respostas mais comuns são referentes ao corpo e segurança financeira. Encontrar alguém que ofereça isso, não é tão difícil; mas, depois de um certo tempo de insatisfação, a queixa é pelo tipo não saudável da relação, mesmo que a beleza e o dinheiro tenham melhorado. Eu costumo informar aos analisandos, que aquele corpo ou dinheiro, vem acompanhado de algo inseparável; o ‘jeito de ser’ da pessoa, que é o que tanto está trazendo aborrecimento.

      É comum eu ouvir que se quer um ‘bom partido’ (sinônimo de bom dinheiro) ou uma ‘mulher bonita’. Corpo de acordo com os padrões estéticos do momento e uma boa renda, com certeza são pontos ótimos para se ter a vida fica confortável. Dinheiro proporciona saúde (ao menos ajuda), corpo bonito e saudável é qualidade de vida; mas tendo isso como ponto principal pode ser ilusão de felicidade. Minha proposta é ajudar a  amadurecer a ideia de um companheiro que se quer, decidir os pontos básicos que quer, e os que são inaceitáveis.

A Escolha Madura do Parceiro / Pragmatismo X Idealismo:

     Por vezes escuto que a escolha do parceiro seguiria princípios técnicos; como ‘salário e bens/corpo/desejo de filhos/fidelidade’, tudo bem definido, como se fosse comprar um carro. Isso até pode ajudar, a pessoa também não quer ser espontânea de mais; apaixonar-se rapidamente e arrepender-se depois, o que é bem compreensível. O indivíduo pode também idealizar o companheiro, inclusive a forma de como se conhecerem; como em filmes românticos, o que é bonito, mas difícil. A escolha madura conciliará essas duas questões, “pé no chão e sonho”; propiciando uma escolha saudável e para ambos, escolhedor e escolhido.

     Nos relacionamentos que eu poderia chamar de ‘boa qualidade’, geralmente existe uma afinidade em relação à: confiança em todos sentidos, cuidado democrático um com o outro, diálogo, grandes objetivos em comum (como filhos, estilo de vida) e semelhanças como valores de vida, artísticos, familiares, sexuais. O fundamental é amadurecer o processo de escolha, ter calma, deixar a pessoa à vontade para ela e você ‘aparecerem’ de verdade e, claro, não se deixar levar por uma necessidade/dependência, pois não será uma ‘escolha real’ e ‘adulta’.

Artigo Relacionamento Saudável

Bacellart Psicólogo

Abordagem: psicoterapia fenomenologia existencial (Heidegger) e simpatia pela Psicanálise do amadurecimento de Winnicott. Se necessário, orientação comportamental de terapia breve.

Aluno convidado, doutorado USP (Gilberto Safra) e PUC (Zeljko Loparic).

Especialista em depressão, casamento e namoro.

Consultório Av. Paulista, Jardins, Cerqueira César, Bela Vista, Jardim Paulista. Metrô Consolação ou Masp/Trianon.

Possibilidade de entrevista para TV, rádio, revista e jornal. Escolha Madura do Parceiro 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *