Desenvolvimento Profissional à Partir do Pessoal.

Mentoria:

 

     Como psicólogo clínico e depois como Coach Profissional Orientação Mentoria, através de minha prática clínica (psicoterapia); pude perceber que o fundamental para o desenvolvimento, é certamente o aperfeiçoamento pessoal. Obviamente que cursos, literatura e a experiência ajudam muito; contudo, vejo aqui de perto que são as dificuldades da personalidade da pessoa, que o que mais a atrapalha nos seus problemas na profissão. Na minha prática de coaching profissional, eu desenvolvi uma abordagem ética, sem grandes promessas, devido a que o coachee sinta-se à vontade, de acordo com o jeito de ser, a criar um boa relação e confiança, fundamentais para seu processo de desenvolvimento.

     Por vezes, o coachee/analisando, ao pensar em contratar um coaching profissional – ‘treinador’, para seu desenvolvimento profissional, há uma preocupação de que o profissional exerça uma pressão forte para uma rápida e espetacular mudança do mesmo; bem como forçar que a pessoa absorva toda uma ideologia de programação do cérebro e etc. Assim, nessa minha proposta de coaching-psicólogo, é feito de uma forma focada/breve, mas respeitosa; pela razão que muitas vezes a pessoa que me procura está passando por um momento difícil, de baixo ânimo e autoestima.

     Como psicólogo, buscarei desenvolver os pontos da personalidade do analisando que mais o atrapalham profissionalmente.

© Copyright – Bacellart Psicólogo Coach USP – atualizando o Livro ‘Desenvolvimento Profissional Através do Pessoal’ Registrado na Biblioteca Nacional – ISBN 978-85-7138-233-6.

Questões pessoais a aperfeiçoar, resultando em ganho profissional e para a vida como um todo:

     Propostas para um profissional que realmente deseja crescimento profissional; e entenda que nem tudo é culpa de dos chefes e empresas, esteja empenhado em se esforçar para seu contínuo aperfeiçoamento, ter paciência e procurar ajuda.

Se a pessoa tiver no mínimo uma dessas características:

1) Fechada.

2) Alta ou baixa autoestima (sentir-se valendo mais ou menos que o outro – Problema de excesso de orgulho ou depreciação).

3) Autoritária.

4) Muito centrada em si-mesma.

5) Pouca capacidade de cuidar do outro.

6) Impaciente e ansiosa (muito preocupada).

7) Depressiva (ou pessimista/irritadiça).

8) Rígida ou sem limites.

9) Visão com pouca abertura para o existir.

     Então, vamos trabalhar psicologicamente o que é preciso, fazendo a co-relação com o que isso e o atrapalha profissionalmente, e como melhorar, esse é um processo breve e focal.

Propostas a serem desenvolvidas:

1) Comunicação.

2) Relacionamento pessoal.

3) Definir suas capacidades atuais e onde é possível chegar.

4) Definir os motivos para qual deseja crescimento profissional.

5) Se necessário, rever a carreira; e se for o caso de uma outra, a viabilidade.

O teórico que me inspirou (e está vivo): Dr. Prof. Maurice Thévenet:

     J. Chang, em sua tese escreve, “… Thévenet (1992) para justificar que os empregados investem na organização quando encontram oportunidades que correspondam aos seus projetos pessoais e aos seus objetivos, e quando aderem aos valores que representam a cultura da empresa, ou seja, o comprometimento supõe uma coerência entre a cultura da pessoa e a da empresa, cultura essa traduzida pelo processo de trabalho…”. Me atrai muito o estilo de ser das startups, como Nubank, Vivareal: porque proporcionam abertura ao funcionário criar, além é claro de a pessoa sentir-se mais à vontade roupa, horários, etc.

Pontos fundamentais a serem desenvolvidos no coachee:

     Em suma, no meu entender, a palavra é mútuo-comprometimento. Devia a que o comprometimento é a junção de COM (em conjunto); e PROMETER, a promessa. Ambos em promessa de melhoria; os dois ganharão com a parceria, o que é justo. Um acredita no outro, vinculados nessa parceria que faz sentido e agrega aos dois; não há sentimento de exploração dos dois lados. Algo que lembra como um casamento deveria ser.

  • colaboradores comprometidos para participarem ativamente no processo produtivo. Em meu olhar, isso naturalmente gera uma atividade profissional que faz mais sentido; colaborando para torná-la mais autêntica e menos mecânica. Assim, o indivíduo vai integrar-se mais a organização e terá mais predisposição a continuar na empresa; ou seja, em algo que para si é prazeroso.
  • Empresa comprometida com a saúde psicológica e física do colaborador. Não adianta a empresa vender maravilhas, “que o colaborador faz parte da família”; se a pessoa se sente como um funcionário padrão, sem quase nenhum estímulo e com muitas cobranças.

     Portanto, através do autoconhecimento, entendermos o que está relacionado as suas dificuldades, origem delas e outros pontos da vida que influenciaram seu crescimento / comportamento, sua situação atual: profissional, afetivo, saúde e etc. – A fim de termos uma noção global de como você está.

     Assim, saberei como ajudá-lo, entendendo suas metas e o que focaremos em seu desenvolvimento psicológico. Seja com psicoterapia do amadurecimento e/ou terapia comportamental e/ou coaching terapêutico.

Questão base: fortalecer a personalidade como um todo.

 

Envie sua avaliação